Faz Bem, Saúdavel
Leave a comment

Ruibarbo é muito mais do que aquilo que parece!

Ruibarbo

“Fora! digo — Que ruibarbo, que sene ou droga drástica nos limpará desses ingleses todos?”

Macbeth – William Shakespeare

Apesar de terem sido os portugueses os responsáveis pelo iniciar do comércio marítimo de ruibarbo, através da Companhia das Índias, a relação com este legume perdeu-se inexplicavelmente. Até recentemente, onde parece ter saído do esquecimento!

Nutricionalmente o ruibarbo é um legume extremamente rico. É uma boa fonte de fibra, minerais, vitaminas e outros compostos fundamentais para mantermos o nosso organismo saudável.

A vitamina que se destaca no ruibarbo é a vitamina K. Tantas vezes colocada em segundo plano, é uma vitamina fundamental para a saúde do organismo. Tem um papel relevante na coagulação sanguínea, na saúde óssea e recentemente estudos apontam para a hipótese de a sua suplementação ter efeito benéfico na prevenção e tratamento da doença de Alzheimer.

Com caules de cor vermelha viva só podemos esperar que o ruibarbo seja rico em antioxidantes e não nos enganamos!

A cor vermelha deve-se á presença de antocianinas e licopeno, aos quais estão associadas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, redução do risco de aparecimento de doenças cardiovasculares e de cancro.

O ruibarbo também é rico noutros compostos com propriedades antioxidantes como a luteína, o beta-caroteno e a zeaxantina, que protegem os olhos e a pele dos efeitos nocivos dos radicais livres. Têm efeito preventivo no aparecimento da degeneração macular, cataratas, beneficiam a visão nocturna, conferem elasticidade à pele, entre outros efeitos.

Quanto aos minerais é uma boa fonte de cálcio, potássio, magnésio e manganésio.

Caso ainda não tenha provado ruibarbo e como gostamos de ajudar na descoberta de novos sabores, vamos em breve deixar no site uma receita bem deliciosa!!

Sabia que…
O ruibarbo tem uma história milenar e cresce de forma espontânea por toda a Ásia mas pensa-se que tenha surgido na China por volta de 2700 a.C..

Só são consumidos os caules da planta de ruibarbo pois as folhas são ricas em ácido oxálico, nefrotóxico e corrosivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>