Comer Fora, Grande Lisboa, Lisboa, Restaurantes
Leave a comment

Rio Maravilha

Um restaurante que é um bar ou um bar que é um restaurante? As duas coisas e ambas maravilhosas! Rio Maravilha é o gastrobar a descobrir o mais rapidamente possível!
Mas vamos por partes. Primeiro, as coordenadas: o Rio Maravilha fica no Lx Factory, num 4.º andar, naquela que foi em tempos a sala de convívio dos trabalhadores da antiga Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonense. São 600 metros quadrados para descobrir e, atenção, devemos alertar que a vista sobre o Tejo, a ponte e o Cristo Rei pode impressionar os mais sensíveis! Sim, a vista é deslumbrante!

O bar: é daquelas pessoas que nunca sabe o que escolher e demora horas a decidir o que beber? Não se preocupe, o Chefe de Bar Fernão Gonçalves tem “o poder de adivinhar” o que os clientes preferem… a nós surpreendeu-nos com um gin fizz de framboesas, manjericão e espumante… uma mistura inesperada de sabores!

O restaurante: para almoçar, para jantar, para petiscar, mas sobretudo para partilhar. E esqueça as cartas tradicionais! Impressas em antigas fichas de picar o ponto dos funcionários da fábrica, não têm entradas nem pratos principais. O que vai encontrar é uma lista de deliciosas experiências gastronómicas que nos chegam pelas mãos do Chef Diogo Noronha que, hábil e subtilmente, mistura sabores e ingredientes de Portugal e do Brasil em harmonia perfeita. Os nossos sentidos começaram a despertar com Ovo BT, creme de queijo, panceta ibérica, marmelada e farofa de parmesão, a que se seguiu Roulade de cavala, puré de cenoura assada e molho piccata. Continuámos a ser surpreendidas com Gambas na brasa, crocante e sagu de frango, mas o que nos fez mesmo “revirar os olhos de prazer” foi a Açorda de sapateira! Para finalizar, pelas mãos do Chef pasteleiro Clayton Ferreira, a surpreendente sobremesa Chocolate 70%, alfarroba, sorbet de cacau e chá verde. Ainda de referir que os pratos podem ser acompanhados com cocktails e que a carta de vinhos privilegia vinhos portugueses de pequenos produtores.

O espaço: a narrativa do Rio Maravilha não é óbvia. É uma surpreendente mistura de elementos, que apelam aos nossos sentidos e conquistam a nossa atenção. Um espaço industrial, com obras de arte contemporânea, projeções vídeo, música, elementos a aludir ao Rio de Janeiro, como os tons de azul e amarelo ou o padrão florido das cadeiras da sala de jantar, totalmente envidraçada, com a tal vista deslumbrante! É um espaço versátil, com ambiente descontraído e informal, ideal para convívio, seja para um almoço, ou para bebida ou petisco de final de tarde, ou para jantar, ou para o que lhe apetecer!

Acima de tudo, o Rio Maravilha tem boa energia e é um espaço onde nos sentimos bem. E não podemos deixar de destacar a atenção do Chef Diogo Noronha e o serviço cuidado da equipa de sala, numa constante e perfeita sincronização. Por tudo isto, chega-se facilmente à conclusão que o Rio Maravilha pode ser altamente viciante… pela comida, pelos cocktails, pelo espaço, pela vista…a repetir sem hesitar!

Facebook
Site

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *